CINEMA E MÚSICA COM A OOP

By 9 de novembro de 2018Notícia

O CIRCO, DE CHAPLIN

Após mergulhar no universo de Exupéry, no último mês a Orquestra lançou o projeto O Pequeno Príncipe, agora é a vez do mundo de Charles Chaplin ganhar sonoridade com a versatilidade e excelência da Orquestra Ouro Preto com o concerto “O Circo de Charles Chaplin”. A apresentação será no dia 11 de novembro, domingo, às 11h, no Grande Teatro do Sesc Palladium (R. Rio de Janeiro, 1046, Centro). É a nona apresentação do ano da série Domingos Clássicos.

O concerto “O Circo de Charles Chaplin” é um espetáculo de música e imagem, homenageando o cinema de Charles Chaplin. “Vamos executar ao vivo a trilha sonora de O Circo, cobrindo de música as imagens do filme, que será exibido na íntegra durante o concerto. É uma apresentação que vai reviver os tempos das projeções fílmicas do Cine Palladium, tradicional sala de cinema que deu lugar para a criação do Sesc Palladium”, conta o maestro Rodrigo Toffolo, regente titular e diretor artístico da Orquestra Ouro Preto.

Para Janaina Cunha, gerente de cultura do Sesc Palladium, a apresentação contribui para manter vida a memória do Palladium. “A exibição de um clássico do cinema universal com trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra Ouro Preto é uma experiência singular, que proporcionamos ao público do Sesc Palladium com este concerto especial. Muito da memória histórica e da relação afetiva do centro cultural com a cidade se deve ao fato deste equipamento ter sido um dos mais importantes cinemas da capital”.

O Circo é um filme de 1928. Nele, Chaplin vai parar em um circo enquanto fugia da polícia, que o confunde com um ladrão de carteiras. Sem querer ele acaba entrando no espetáculo e faz enorme sucesso com o público, sendo contratado pelo dono do circo. E Charles se apaixona pela filha do dono do circo. “Carlitos, como Chaplin era conhecido, é um dos grandes artistas do cinema. As cenas de seus filmes e as risadas que seu célebre personagem provoca nos espectadores são marcas que venceram o tempo, permanecendo até os dias de hoje. Seus filmes são verdadeiros clássicos”, afirma Toffolo. A apresentação será no Grande Teatro do Sesc Palladium, mesmo espaço onde funcionava o Cine Palladium.

O concerto que homenageará Charles Chaplin e relembrará os saudosos tempos do Cine Palladium integra a programação 2018 do Domingos Clássicos. O objetivo do projeto do Sesc é democratizar o acesso à cultura e proporcionar a aproximação do público com a música de concerto. A cada segundo domingo do mês, a Orquestra Ouro Preto realiza concerto de caráter didático, abordando aspectos estilísticos e formais que caracterizam os períodos apresentados.

Os ingressos para o concerto Orquestra Ouro Preto O Circo de Charles Chaplin estão à venda por R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia) e R$ 8,00 (trabalhadores do comércio). A compra de ingressos pode ser feita na bilheteria do Sesc Palladium e em ingressorapido.com.br.

Resgate da história

O concerto da Orquestra Ouro Preto marca um resgate na história do Cine Palladium. A apresentação relembra os tempos áureos de uma das salas de cinema mais famosas da capital mineira. Inaugurado em 29 de julho de 1963, o Cine Palladium realizou uma solenidade só para autoridades e no dia 31 de julho realizou a sua primeira sessão. O Palladium ostentou por 36 anos o título de sala mais luxuosa de Belo Horizonte. As três décadas e meia de vida foram o bastante para colocá-lo na rota dos acontecimentos históricos que marcaram o país. Abrigou o 1º Festival do Cinema Brasileiro de Belo Horizonte, em setembro de 1968, e acompanhou o mote da época, passando por Paris, Praga, Rio, com a marcha dos 100 mil e manifestações Brasil afora. A sala manteve uma ótima média de público e fez história na cidade.

Mas o drama fictício das telas tornou-se realidade do Cine. Em 15 de setembro de 1972, um incêndio destruiu completamente sua estrutura. Onze meses depois, em agosto de 1973, retomou as atividades sendo palco de grandes clássicos.

Nas décadas de 80 e 90, o formato ofertado pelos shoppings, as crises econômicas e o videocassete foram alguns dos fatores que causaram a falência de grandes salas. O Cine Palladium foi vítima da crise e fechou as portas em setembro de 1999. Em dezembro do mesmo ano em que deixou de funcionar, o Sesc, com apoio do Sistema Fecomércio MG, adquiriu o Palladium para fazer dele espaço da diversidade cultural.

Em agosto de 2011 o Sesc Palladium foi inaugurado com a proposta de receber diversas linguagens artísticas. Hoje, o espaço recebe espetáculos teatrais, shows, performances, exposições, exibição de filmes, oficinas artísticas, debates e palestras, além de diversas outras atividades de arte e educação.

OOP

About OOP

Leave a Reply

Share This