QUAL A IMPORTÂNCIA DO MAESTRO?

By 22 de abril de 2016Palavra do Maestro

O que significa reger?

 

Em Os Lusíadas, o escritor e poeta Luis Vaz de Camões narra a epopeia dos portugueses no tempo das grandes navegações. Desbravando o mar em seus gigantescos galeões, eram movidos pela esperança e pela vontade do desconhecido.

Na literatura, vários foram os autores que se inspiraram no universo marítimo para criarem suas obras. Pois bem, é a partir desse universo que podemos fazer um paralelo para falar sobre o mundo da música de concerto. Nele, a tripulação são os músicos, a partitura é a bussola que auxilia a navegar no grande e misterioso oceano que se faz música. O maestro é o responsável por guiar a tripulação pela música que alimenta o espírito,  capitão da nau que, com seu timão transfigurado em batuta, rege a orquestra em busca da execução perfeita.

Hoje falaremos do maestro. Qual é, de fato, a função do maestro em uma orquestra, um coro vocal ou uma banda de música? O que significa reger?

Reger é arte pela qual o maestro conduz uma orquestra através de gestos, transmitindo aos músicos e musicistas valores e índices que compõe uma obra musical, como andamento, ritmo e expressividade.  Segundo alguns estudiosos, a figura do maestro, tal qual conhecemos hoje, surgiu entre os séculos XVIII e XIX, com a complexificação das formações instrumentais.

Para uma pessoa se tornar um maestro, demanda estudo, dedicação e um grande conhecimento de música. No decorrer da história, alguns maestros imprimiram características únicas à regência, tornando-se grandes referências. Leornard Bernstein, Carlos Kleiber, Claudio Abbado, Jordi Savall, Simon Rattle, são alguns deles.

Assim, uma orquestra sem o maestro é como um navio sem o capitão. A tripulação sabe exatamente o que fazer. No entanto, necessita do capitão para harmonizar suas atividades, dando segurança a todos.

Curiosidade

Batuta: A batuta é o instrumento pelo qual o maestro rege a orquestra. Ela serve como um prolongameto das mãos do maestro, possibilitando aos músicos energarem melhor os movimentos da regência.

Maestro Rodrigo Toffolo

Foto: Naty Torres

OOP

About OOP

10 Comments

  • Leopoldo Almeida disse:

    Maestro Rodrigo Toffolo.
    Estou muito satisfeito com a excelente explicação sobre a função do maestro.
    Um abraço.
    Atenciosamente.
    Leopoldo Almeida.

    • Clecia disse:

      Minha dívida sobre a palavra orquestrar
      Então o maestro não orquestra
      Ele rege a orquestra
      Orquestrar é planejar
      Orquestrar tem algo a ver com a orquestra que o maestro rege?

  • Marcos Donizetti da Silva disse:

    E por que o maestro holandes André Rieu toca junto com a sua orquestra, de costas para ela, sem reger, portanto, e toda a execução da música sai perfeita?

    • OOP disse:

      Ei, Marcos!
      Agradecemos pos sua pergunta.
      O maestro é importante para guiar a orquestra durante todo o concerto. É ele o responsável por dinamizar todas as nuances de uma apresentação. O caso do maestro André Riéu é distinto, pois trata-se de um outro formato, tão musical quanto visual.

      Abraços

  • disse:

    Amei a explicação tanto quanto a analogia fantástica do Capitão! Que além de direta, foi muito esclarecedora; me fazendo olhar um Maestro com outros olhos! Parabéns.

  • Reynaldo Casalunga disse:

    Boa noite Para ser um Regente precisa conhecer todos os instrumentos?
    Quando assisto uma orquestra observo que alguns músicos nem olham para o regente
    As partituras são iguais para todos os músicos?
    Grato aguardo retorno e agradeco

    • OOP disse:

      Olá, tudo bem?
      Para ser maestro, precisa ter um entendimento muito grande de orquestração. Não há necessidade, por exemplo, de saber tocar todos os instrumentos, mas sim, de conhecer todas as nuances do mundo da música.
      As partituras variam por naipes. Por exemplo, o violino I tem uma partitura, o violino II tem outra, e assim sucessivamente.
      Ah, sobre os músicos não olharem para o regente, de fato não é necessário, posto que a movimentação da batuta na mão do maestro cumpre esse papel. Os músicos a enxergam com a visão periférica deles.

      Abraços, Reynaldo!

  • Karolinne disse:

    Belo texto. Muito esclarecedor. Eu tenho uma pergunta: como e qual é o caminho que um leigo precisa percorrer “a partir do zero” para se tornar maestro (aqui no Brasil)? Precisa entrar numa universidade ou conservatório, se formar em um instrumento “clássico”, depois prestar alguma prova em algum lugar? Aqui no Brasil dar-se título de maestro? Precisa se formar em vários instrumentos? Teria que ingressar numa universidade federal ou num conservatório? Como saber o caminho? Talvez até essa falta de informação impossibilite mais formações de regentes de orquestras. Aguardo retorno e obrigada.

    • OOP disse:

      Olá, Karolinne! Como vai?
      Agradecemos por sua pergunta.
      O caminho para se tornar Maestro, geralmente, se dá através do curso de regência, oferecido por algumas universidades do Brasil, como a UFRJ. Não há necessidade, exatamente, de saber tocar algum instrumento, mas de saber profundamente música. Além da leitura de partitura, noções aprofundadas de arranjo, composição e harmonia.
      Esperamos ter respondido à altura.
      Grande abraço!

  • Aline disse:

    Perfeita analogia com a literatura. Aliás…música e literatura são fundamentais para a nossa existência.
    Estou cada dia mais encantada com o trabalho de vocês.
    Parabéns!

Leave a Reply